Nomes estranhos, bandas nem tão estranhas assim

R.E.M.

(R.E.M., uma grande banda com um nome que foge do lugar comum)

Quando comecei a ouvir música, era muito comum (bem clichê) o artigo “The” no nome da maioria das bandas. Quer ver: The Smiths, The Chameleons, The Bodines, The Comsat Angels, The Cure, The Mighty Lemon Drops (até com os dois artigos, no caso, a banda de Matt Johnson, The The) Ouvindo muita coisa dos 80, passei a ouvir bandas dos 60; simplesmente porque houve um interesse repentino de minha parte, além de abrir e ampliar meu conhecimento no mundo musical. Então, nos anos 60, notei que a quantidade é absurda: Zombies, Beatles, Kinks, Hollies, Troggs, Turtles, etc (tudo com o “The” antes, é claro).

Evidentemente que já notávamos novidades ao longo da história musical com certos nomes de grupos que fugiam dessa partícula. Lembro-me quando, por exemplo, vi a sigla REM (ou com ponto, se preferir) e de quando muitos ouvintes da banda ficaram se perguntando o que significava. Depois de muitas especulações, ficou como “Rapid Eyes Movement” (seqüência de movimentos feitos pela pessoa com seus olhos durante um determinado período do sono).
Até outro dia fiquei me indagando sobre a nova leva de nomes bizarros, e resolvi fazer esse texto mais humorado e descontraído. O que acham de “I Love You But I’ve Choosen the Darkness” e “...And You Will Know Us By The Trail of Dead” (são frases inteiras, notaram?)? Não se espantem, são nomes de bandas (boas) da nova leva. O que é mais engraçado: o nome delas ultrapassa em vocábulos os nomes de algumas de suas próprias músicas, além de serem difíceis de falar e de escrever.

Tomemos mais alguns exemplos estranhos: Pedro The Lion, Flotation Toy Warning (os caras eram engenheiros, pudera!), Suburban Kids With Biblical Names. Temos variedades mil (incluindo bandas novas como antigas). Nomes de personagens históricos e universais (Franz Ferdinand, Cousteau); nome de empregos ou de funções (North Atlantic Explorers, Engineers); entidades mundiais (Interpol); nomes de carros famosos (Galaxie 500); personagens de desenho animado (Belle and Sebastian); letras e números (JJ72, M83); nomes que remetem a termos medicinais (Placebo) e a acessórios sexuais (Arab Strap). E ainda tem aquelas que unem dois termos e que sempre nos confundem sobre o real significado do nome, como: Lambchop, Radiohead, Coldplay, Midlake, Babybird, etc. Mas não se preocupem, os “Thes” não sumiram: The Unicorns, The Hives, The Tears, The Dears, The Charade (segue uma lista infindável que nem vou citar aqui).

Para se ter uma vaga idéia sobre esses nomes, entre num bom blog ou mesmo em sites específicos sobre assuntos de músicas, e você verá nomes que sequer imaginava. Entretanto, neste vasto universo musical, vale a pena, não se assuste. É só se lembrar do título desse texto e seguir adiante no conhecimento do som da banda, esqueça o nome. Eu já estive pensando muito nisso e até pensei num nome para quando tiver minha banda (algum dia, quem sabe). Colocaria esse nome excêntrico e delirante: “Quando os Dinossauros Voltarem da Lua, Seremos Mais Felizes”. P.S. – Favor traduzir para o inglês, já que não estou com meu inglês confiável.