Biografia

O Manic Street Preachers foi formado na pequena cidade de Blackwood, País de Gales, em 1986, pelos amigos de escola James Dean Bradfield (vocais e guitarras), Nicky Wire (baixo) e Sean Moore (bateria). O primeiro nome adotado pela banda foi Betty Blue, mas, posteriormente, o trio escolheu Manic Street Preachers.

A capa do primeiro single ("Suicide Alley") foi desenhada pelo guitarrista Richey James, que logo depois se tornou membro do grupo. As influências estavam evidentes, a capa foi inspirada no primeiro álbum do The Clash. O som tinha influências do punk e hard rock.

O segundo single, "New Art Riot", foi lançado em 1990. As composições do Manic Street Preachers tinham como principais temas a política e a crítica social. O público se interessava e crescia a cada apresentação. Chamados de grupo socialista punk retro, o Manic vendia camisetas relacionadas ao socialismo. O início do grupo foi cheio de polêmicas. A banda dizia que lançaria um único CD para vender 16 milhões de cópias e encerraria a carreira. O objetivo era não se vender ao sucesso, mas as polêmicas só davam mais visibilidade ao grupo.

O primeiro sucesso, "Motown Junk", foi lançado pela gravadora Heavenly Records. O single se tornou um clássico do grupo. "You Love Us", segundo single, foi mais polêmico, era uma resposta à mídia que não os levava a sério. Deu certo, a música entrou na parada britânica e deu um empurrão na carreira do Manic. O resultado foi uma turnê no Reino Unido em 1991. O Manic Street Preachers mostrava mais uma vez que adorava uma história que se espalhasse pela mídia. Em um dos shows, em Norwich, estava presente o jornalista da New Music Express, Steve Lamarcq, mais um que duvidada da seriedade e autenticidade do grupo. Após o show, durante a entrevista com Richey, como o jornalista não parecia muito convencido de suas declarações, o guitarrista pegou uma navalha e escreveu no braço "4 Real". A história terminou no hospital e Richey levou 17 pontos. O resultado de tanta polêmica foi o contrato assinado com a Sony Music.

Em 1992 saiu o primeiro álbum, 'Generation Terrorists'. Várias canções entraram no Top 40 da Inglaterra. O single "Suicide In Painless", relançado, chegou ao Top 10 e foi tema do filme M*A*S*H. A música "Little Baby Nothing" é um dueto de James Dean Bradfield com a estrela pornô Traci Lords.

Em 1993 foi lançado o segundo álbum, 'Gold Against the Soul'. O James Dean Bradfield continuou na mídia, ora por frases polêmicas, ora por supostos problemas de saúde. Mas foi em 1994 e 1995 que as manchetes sobre o Manic se multiplicaram. Primeiro foi a internação de Richey James por colapso nervoso em uma clínica. Depois saiu o terceiro álbum, 'Holy Bible', uma gravação mais introspectiva e depressiva. E, por último, a tragédia. No dia 1º de fevereiro de 1995, Richey abandonou o hotel em que estava em Londres, deixando no quarto o passaporte e cartões de crédito. Seu carro foi encontrado quinze dias depois, perto de uma ponte, local conhecido como palco de suicídios. O corpo de James, contudo, nunca foi localizado. Sempre surgiram relatos de que ele teria sido visto em locais improváveis. O sumiço trágico do músico conferiu aura mítica à banda.

Alguns meses depois, a banda se recuperou da tragédia e decidiu continuar sem Richey depois de conversar com a família do guitarrista. Em 1996, o Manic lançou o álbum 'Everything Must Go', ainda com algumas canções de Richey. O disco vendeu dois milhões de exemplares. O sucesso crescia e no Brit Awards 97 eles levaram para casa os prêmios de Melhor Banda e Melhor Álbum (repetidos em 99).

'This is My Truth Tell Me Yours' saiu em 98 e o single "If You Tolerate This Your Children Will Be Next" foi direto para o primeiro lugar das paradas.

Em 2001, o Manic Street Preachers lançou 'Know Your Enemy'. Gravado em El Cortizo, na Espanha, o álbum traz 16 faixas. Uma das canções, "Baby Elian" foi inspirada no caso de Elian, o menino cubano levado para os Estados Unidos sem o consentimento do pai e que ocupou as páginas dos jornais no mundo inteiro. A turnê incluiu também um show histórico em Cuba.

O show em Cuba, o primeiro da turnê, foi realizado no Teatro Karl Marx, em Cuba, transformando o Manics na primeira banda ocidental a se apresentar na ilha socialista e ainda com Fidel Castro na platéia. Diz a lenda que James tentou avisar Fidel que o show seria muito barulhento. "Não será mais barulhento que a guerra", foi a resposta de Fidel.

Em 2002 e 2003 saíram duas coletâneas, 'Forever Delayed' e 'Lipstick Traces / A Secret Story of Manic Street Preachers', e junto com elas boatos de que seria o fim da carreira do Manic Street Preachers. Mas, em 2003 eles entraram em estúdio para gravar mais um álbum, com produção de Tony Visconti produtor de David Bowie, o que resultou em 'Lifeblood', 7º álbum da banda.

Já em 2005 saiu o EP 'God Save the Manics' disponível apenas por download. Em 2007, os Manics, como são carinhosamente conhecidos, voltam à cena com mais um álbum. Trata-se do 'Send Away The Tigers'. O primeiro single desse disco, "Your love alone is not enough", foi gravado em dueto com Nina Persson, vocalista da banda sueca The Cardigans.

Em 2009, a banda lançou o álbum 'Journal for Plague Lovers', que inclui letras escritas por Richey James. No ano seguinte saiu 'Postcards from a Young Man', o décimo álbum de estúdio do Manic Street Preachers.

'Rewind The Film', 11º álbum da discografia do Manic Street Preachers, foi lançado em setembro de 2013. A banda lançou um novo disco no ano seguinte, intitulado 'Futurology'. Em 2018, saiu 'Resistance Is Futile'.

Blackwood - Reino Unido


Manic Street Preachers: Em Turnê

setembro 25
London, United Kingdom
Reino Unido

Artistas Relacionados

playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas
playlist_playTop Músicas

Posts Relacionados

Unknown Mortal Orchestra