Família de Amy Winehouse pede "privacidade e espaço"; vendas de "Back To Black" disparam na Inglaterra

Família de Amy Winehouse pede

A família de Amy Winehouse revelou um comunicado de imprensa, no qual pede "privacidade e espaço". 

"A nossa família ficou desnorteada com a perda da Amy, uma filha, irmã e sobrinha maravilhosa. Ela deixa um grande vazio nas nossas vidas", pode ler-se no comunicado. "Vamos nos juntar para recordá-la e agradeceremos se nos dessem alguma privacidade e algum espaço nesse momento horrível". 
 
Em outras declarações à imprensa, o pai de Amy confessou que ainda não acredita na morte da filha. Por seu vez, a mãe afirmou que a morte de Amy, que encontrará na véspera e lhe parecera "descontrolada", era apenas "uma questão de tempo". 
 
A morte de Amy Winehouse continua sem explicações. Não obstante a ligação da cantora às drogas pesadas e ao álcool, a polícia inglesa pediu à imprensa que não especulasse sobre as causas do óbito até serem conhecidos os resultados da autópsia, que será realizada hoje. 
 
Entretanto, os dois discos de Amy Winehouse ameaçam tornar-se os mais vendidos em Inglaterra nos próximos dias. 24 horas depois da sua morte, o álbum "Back To Black" já era o mais vendido no iTunes, ao passo que o "pack" dos seus dois discos estava em terceiro e a edição especial de "Back to Black" em quarto. 
 
De acordo com números oficiais, as vendas dos álbuns de Amy subiram 37 vezes de sexta para sábado, e as vendas de músicas isoladas cresceram 23 vezes, num fenômeno semelhante ao que sucedeu com a morte de Michael Jackson. (Blitz)