Skip to main content

Nem mal havia começado esse texto, e uma amiga minha passava por e-mail a notícia da morte de Charlie Cooper (31 anos). Junto com Joshua Eustis, ele fazia parte da dupla eletrônica Telefon Tel Aviv, já desde o final dos anos 90 e com três discos na bagagem (contando com esse, o assunto da resenha).

Difícil, neste momento, falar do TTA. Pela própria questão do falecimento de um dos integrantes, ou pela questão técnica de se fazer um julgamento preciso da sonoridade. Posso afirmar que ‘Immolate Yourself’ me remete à épocas em que comecei a perder o preconceito da música eletrônica. Ainda ligado no punk ou no rock 80’s, comecei a me aventurar nos primeiros discos com recursos eletrônicos (que na época geralmente eram taxados erroneamente de ‘descerebrados’ ou de ‘música sem alma’).

Cismas de um lado, sinto-me bem em ter me aprofundado neste cenário eletrônico. E apesar de não fazer questão em diferenciar nomes como IDM, Ambient, Electro-pop, Downtempo, Newbeat e mais uns 100 nomes eximidos aqui por bom senso, fico absorto em obras que trazem a história do estilo (o eletrônico em geral) bem pautada em 10 canções, como essas do disco.

Ícones do passado estão presentes em cada minuto de música que chega aos nossos ouvidos. Kraftwerk, Juan Atkins, Art Of Noise, KLF e outros gênios que deixaram acesa a chama da música eletrônica. Da turma mais nova, percebemos um pouco de Apparat aqui, mais um tanto de Junior Boys, ou mesmo uma associação com o Air France. Não importa. O relevante é você trafegar com segurança e satisfação por viagens climáticas semi-oníricas (‘The Birds’ e ‘Mostly Translucent’) ou mesmo por devaneios em tom de experimentalismos melancólicos/sombrios (‘Your Every Idol’). Não satisfeito por completo, talvez você queira sentir vertigens cerebrais com a linha instrumental de ‘Your Moth’. Ainda com medo do mundo da eletrônica? ‘M’ e ‘Stay Away From Being Maybe’ representam o remédio certeiro para a sua cura. Caso você queira chorar (por conta de boas lembranças) num canto escuro de seu quarto, corra para ‘Helen Of Troy’, uma síntese honesta do que foi o Techno Pop 80’s. ‘Immolate Yourself’ é o fechamento perfeito para encerrar sua contemplação de uma obra difícil de designar/rotular/decifrar. Viagem sem acidentes, com uma boa chegada em praias sutis e imersas na mais pura tranquilidade.

Agora, fica apenas o enigma de como Joshua levará o projeto adiante. Um tempo de respeito por parte do ouvinte é exigido. Um momento de reflexão pelo lado do músico é preciso. Depois de um trabalho competente, o Telefon Tel Aviv deve continuar, mesmo que apenas com metade de sua inspiração.



Artista: Telefon Tel Aviv

Disco: Immolate Yourself

Ano: 2009

Gravadora: BPitch Control

Nota: 8,0

 


Eduardo Tadeu Ferrari Salvalaio também escreve em:

Most Recent