Lily Allen defende uso de drogas pesadas e critica catolicismo

Lily Allen disse numa entrevista à revista World que é contra a imagem negativa veiculada sobre as pessoas que consomem drogas pesadas.

A voz de "Alright, Still" revelou ter experimentado cocaína em um momento que se sentia "uma criança abandonada" porque "todos à sua volta o faziam" e ela não. "Foi por isso que o fiz, mesmo não gostando".

"Conheço muitas pessoas que consomem cocaína três noites por semana e que no dia seguinte se levantam e vão trabalhar, sem qualquer problema", disse.

"Nunca ouvimos o outro lado da história. Não tenho de ser eu a comentar, mas gostava que não se exagerasse tanto uma coisa que simplesmente existe. A única coisa que passa é que as drogas são más e te vão matar, que vai se tornar prostituta, criminoso ou 'dealer' (traficante) e isso não é verdade", acrescentou.

Na entrevista, além de sublinhar que já não consome droga há algum tempo, a cantora fala ainda do seu desencanto com o ambiente católico em que cresceu: "Não gosto muito do cristianismo. Fui educada numa escola católica que me disse que os gays, o adultério e as drogas eram coisas más. Ao mesmo tempo todos os amigos da minha mãe eram gays, o meu pai tinha casos e havia droga em casa quando eu era pequena, acho muito cruel".

Site oficial: www.lilyallenmusic.com

Tags: