FANFARLO - Reservoir

Já me pego imaginando. Você, caro leitor, nunca escutaria uma banda chamada Fanfarlo, sobretudo com uma capa dessas. Mas, esteja feliz em ser enganado. A capa em tom envelhecido/desbotado, na verdade, esconde uma sonoridade colorida, para dias de sol ou não. Tanto faz. E se pegarmos as seis letras iniciais de Fanfarlo lembraremos certamente de fanfarra. No popular: farra, diversão. Entretanto, do francês ‘fanfare’, temos uma designação que indica um tipo de banda musical própria para execuções públicas. Informação rápida, siga agora para minha resenha em si.

Para os mais apressados, eu diria – numa rápida exposição aqui – que o grupo fica entre uma mistura de Beirut, Sufjan Stevens, Arcade Fire e Clap Your Hands Say Yeah. 25% de cada grupo citado seria justiça na minha classificação. Apesar de que, a voz do sueco Simon Balthazar – atenção que a banda é londrina – tenha o mesmo timbre de voz de Alec Ounsworth do CYHSY. ‘Luna’ e ‘Drowning Men’ revelam demais uma certa influência da banda de Alec sobre a de Simon.

Em contrapartida, para fundamentar minha predileção ao Fanfarlo, eu retiro – por um instante - as similaridades feitas acima. Elas existem, contudo preciso provar que o grupo inglês tem seus méritos. Fazer música pop-rock hoje em dia, todo mundo faz. Para deixar tocando em seu player, são poucos que cumprem com a missão. O Fanfarlo consegue. Somando a isso, temos uma ‘farra’ de instrumentos permeando densamente as canções. Com uma turma dessas, não seria diferente: Mark West (guitarra), Leon Beckenham (trompete), Cathy Lucas (violino), Justin Finch (baixo) e Amos Memon (bateria).

Tudo bem encaixado. Nada sobrando, nada em supremacia. Os sopros hipnotizam em ‘The Walls Are Coming Down’ e ‘Finish Line’. Linhas poderosas de baixo junto com uma bateria de deixar o ouvinte inquieto comparecem formando ‘Ghosts’ (esta, uma das melhores músicas do ano até agora) e ‘Harold T. Wilkins Or How To Wait For a Very Long Time’. Pianos, violinos e novamente os sopros fazem uma agradável massa sonora na calma canção ‘If It Is Growning’. Sobra tempo para apreciar a carismática ‘Fire Escape’. Canção essa que foi single da banda.

Com uma produção bem trabalhada de Peter Katis (The National, Interpol), os ingleses elaboram um début, se não original, ao menos cativante e capaz de ser fonte promissora para futuros trabalhos do sexteto. Independentemente do que o nome tenha lhe causado ou qual o real significado por trás dele, não deixe de ouvir ‘Reservoir’.

Artista: Fanfarlo
Disco: Reservoir
Ano: 2009
Gravadora: White Heat

Nota: 8,2

Eduardo Tadeu Ferrari Salvalaio também escreve em:

    http://www.fotolog.com/bluelines/
    http://www.outernative.net/